domingo, 5 de fevereiro de 2012

LAMENTO PELA PAZ! poesia de Delasnieve Daspet



 
LAMENTO PELA PAZ!
 Delasnieve Daspet
 
Guerra é Guerra.
Não importa a sua violência,
ou a sua virulência...
Não existe  desculpa para o descalabro...
As  nossas guerras de todos os dias,
As nossas picuinhas,
As nossas maldades internas,
Nascem do rancor,
da mágoa, do recalque que é o homem...
 
 
É o homem mata!
Suas bombas cruzam  o anil dos céus,
Toldam de cinza as tardes do mediterrâneo,
Pontes, casas, castelos,
crianças esparramadas pelos chãos,
quais bonecos jogados, esquecidos,
sonhos destruidos...
Elos que se quebram,
e que não serão recompostos!
 
Não interessa quem esteja certo,
quem esteja errado...
Nossa consciência nos cobra:
Não se cale!
Não permita  que o amordacem,
que lhes toldem o sol,
que lhes matem o ar,
que lhes escureçam a lua!
Poeta, não permita
que o privem da  liberdade!
 
E, é pelo Homem, o meu lamento!
Que o farfalhar das folhas leve meu soluço,
E abrace a imensidão azul  de nossos  sonhos
De Paz que ouso cantar,
Neste canto de recriação
que entrego ao vento!
 
Recriar... Reciclar... Novos horizontes...
Assumir decisões a cada dia, a cada instante,
Pois não existem estradas fáceis,
Mas a que esta  adiante,
Construindo um caminhar...
 
É pelo homem, este solitário animal,
O meu lamento de Paz!
Campo Grande-MS - 05-08-2006.
 

2 comentários:

  1. PARABÉNS....VC FAZ A DIFERENÇA..!!!!

    ResponderExcluir
  2. Sensivelmente bela!
    Mas os meus olhinhos sexagenários,mesmo com os óculos padeceram para ler...rs.
    beijinhos de paz

    ResponderExcluir

OBRIGADA PELA VISITA E COMENTÁRIOS.

Delasnieve Daspet